Do NADA ao AVA

Este artigo foi escrito por uma paciente minha, e descreve perfeitamente o que se sente com a Conexão AVA. São sessões muito intensas mas de profunda libertação. Espero que possa ajudar muitos a perceber que é possível chegar á felicidade! Muito grata por este artigo lindo Andreia <3
“Estava perdida. Imersa em confusão. Não conseguia ver a luz ao fundo do túnel. Aliás, não via sequer o túnel! Uma sombra do que sabia que poderia ser, e do que já tinha sido.
Tinha uma fé tremida em tudo e em quase nada, e a vontade de sorrir, de aproveitar os minutos cá em baixo escoava-se e como que se me fugisse por entre os dedos.
E depois. As desculpas! E as culpas!
Do mundo, das pessoas, do trânsito, do tempo, da falta de tempo… De tudo!
Sem perceber, que a faca e o queijo estavam na minha mão, e que como em muitas outras situações só dependia de mim!
Precisava de luz! Precisava da minha luz!
E eis que ela chegou! E eu nem sequer a vi. E hoje tenho a certeza de que se eles se apresentassem à minha frente e me dissessem que eu iria viver tudo isto e chegar até aqui, ia me rir.
E é então que passo pelo que eu considero os estados principais deste caminho.
Resistência.
Negação.
Desculpas.
Mentira.
Desespero.
Resistência.
Rendição.
Luz!
Demorou, doeu, custou. Mas nada poderia ser feito por mim, sem que eu tivesse plena e perfeita consciência, de que queria sair daquele estado.
A luta contra padrões criados, enraizados, agarrados, é longa e cansativa.
Mas após toda a resistência, e negação, e desculpas, e mentiras, e desespero, veio finalmente a rendição, e a luz que eu tanto precisava!
A minha alma gritou a plenos pulmões, de lágrimas a escorrer, do mais profundo de mim, que já chegava!
Foi então que a minha irmã cá em baixo me falou da Terapia de Conexão AVA e pouco depois, a Tree Natura Terapias e a Célia entraram na minha vida!
A disponibilidade, a amabilidade, a clareza na explicação, a luz que emana dela e a certeza e a garantia que o meu tempo tinha chegado, fez-me reacender a centelha da esperança.
E dei o meu primeiro salto sem rede!
A primeira sessão chegou. E pela primeira vez, atrevo-me a dizer que em 30 anos de existência, vi, senti, e acreditei que o amor incondicional existe!
E despi-me! De conceitos. De preconceitos. E senti! Fundo!
E chorei, chorei muito. Chorei uma dor de agora, uma dor de muitas vidas. Mas a grande diferença, entre as lágrimas de antes e daquele momento, foi que não me sentia, que não estava mais sozinha!
A compreensão, a compaixão, e o amparo estavam naquele quarto, e nesta casa.
E até hoje permanecem!
E vi a minha casa cheia estando vazia. E não me senti mais sozinha. Não senti mais medo! Confiei. Deixei ser!
A limpeza, foi e está a ser dura! Dos sintomas físicos aos sintomas emocionais, a montanha russa não acaba!
A sensibilidade aflorou, e a minha capacidade de me ler, de me compreender, de me enfrentar e confrontar vieram.
Senti-me a nascer! E com isso a minha vida, a forma de ver o mundo e as almas que nele habitam mudou também.
Estou grata! Eternamente grata! A todos os professores que o universo me forneceu!
Por ter encontrado uma terapeuta com uma alma gigante, com uma  compaixão sem tamanho, conhecimento sem fim, e sempre, sempre disponível para ajudar, aconselhar, orientar e guiar!
E por ter uma irmã com uma alma enorme! Que está sempre aqui. Que me abana e puxa a minha frequência quando me vê a ir pra baixo. Que está comigo! Em mim!
A minha vida começou!
Duas sessões de Terapia de Conexão AVA depois, e sinto as mudanças a acontecerem à velocidade da luz, e não quero parar!
O caminho  vai ser longo! Vai ser duro! Vai ser trabalhoso!
Muitas lágrimas vão rolar ainda. Vou ser posta à prova, e vou passar por provações. O desconhecido, o não saber, ainda me assustam!
Mas sempre que isso acontece, eles dizem-me “confia”! E eu confio! E vou continuar a confiar.
O que amanhã me espera preocupa-me. Mas já não me desespera.
Porque agora estou certa e com a certeza de eles estão lá! E que por vezes perder, significa ganhar. Que chorar não é sempre sinal de tristeza nem sinal de fraqueza.
E o mais importante! Todos nós somos importantes! Todos nós somos almas em estado de evolução. E que o mal que fizemos durante quarenta ou cinquenta vidas pouco importa para eles! O que importa é a tua capacidade de rendição. O que tu és hoje, e o que desejas ser amanhã!
E que antes de julgarmos seja quem for, de condenarmos o mais vil dos crimes e injustiças, nos possamos lembrar que por detrás de cada olhar existe uma história! E existe uma alma!
Que cedo ou tarde irá pedir rendição, irá entender o mal que fez, e que é agora que todas essas almas precisam da nossa compaixão! Não da nossa pena ou do nosso julgamento!
Todos nos perdemos! Todos nos arrependemos!
Mas no final, cedo ou tarde, com muito ou pouco tempo, todos desejamos o mesmo.
Voltar a casa! Voltar para casa!

Deixe uma resposta